post instituto rio

Visita às iniciativas sociais apoiadas pelo Instituto Rio

Por Mariane Maier Nunes, Colaboradora ICOM-Instituto Comunitário Grande Florianópolis

O Instituto Rio, fundação membro da Rede Iberoamericana de FC, é uma fundação comunitária criada no ano 2000 com o objetivo de apoiar e fortalecer iniciativas que promovem o desenvolvimento social da Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro (Brasil). Há um pouco menos de 1 mês, eles me receberam para uma visita a iniciativas beneficiadas por eles e aqui estou para compartilhar com vocês essa experiência.
A fundação comunitária atua em um contexto onde há o menor IDH (índice de desenvolvimento humano) da cidade do Rio de Janeiro, e alto índice populacional. Em uma região cheia de
desigualdades, o papel de uma fundação comunitária se torna fundamental para impulsionar iniciativas que trabalham para o desenvolvimento social, articulando com as necessidades das comunidades locais. Conheci duas dessas iniciativas que o Instituto Rio impulsiona, através de apoio financeiro e formação permanente de lideranças locais.

O ‘Grupo Mulheres de Pedra’, primeira iniciativa visitada, conta com 15 líderes comunitárias ativas. O grupo nasce com o objetivo de valorizar o protagonismo da mulher negra na construção de um outro mundo no qual as relações se tecem através da arte, da educação, da economia solidária e da diversidade cultural. Segundo Leila Souza Netto, uma das líderes do Grupo, as ações em arte e cultura como Saraus, documentários e artesanato, são um atrativo às meninas e mulheres da comunidade, que encontram no grupo um canal de apoio. Lá elas unem forças para enfrentar os desafios, estreitam suas relações e melhoram a autoes
tima. A articulação dessas mulheres, no meu ver, é a melhor forma que muitas têm de reivindicar seus direitos e influenciar políticas públicas mais inclusivas através de fóruns de bairro (que elas já participam) e de redes como a do Instituto Rio, que oferece ao Grupo Mulheres de Pedra, a Universidade Comunitária, uma rede de organizações da sociedade civil e grupos, que tem acesso a atividades de formação e dinâmicas horizontais de caráter colaborativo. Para Leila, a formação grupo mulheres de pedrado Instituto Rio em gestão de projetos, mudou a forma delas otimizarem os recursos e se organizarem como grupo.

 

Outra iniciativa beneficiada pelo Instituto é a ASVI-Associação Semente da Vida, que é a única organização a oferecer atividades de contra turno a crianças da comunidade de Cidade de Deus. Comunidade que grupo mulheres de pedra2sofre com temas como violência e acesso à educação, segundo Maria do Socorro Melo Brandão, líder da organização. A ASVI beneficia em torno de 50 crianças que recebem formação em cidadania, atividades para auto estima, esporte e dança. Graças ao apoio do Instituto Rio, a organização atualmente trabalha em um projeto de comunicação comunitária e acesso às tecnologias digitais voltadas para jovens incentivando o protagonismo juvenil. Para Maria, a Rede de organizações da Zona Oeste é fundamental para o desenvolvimento da ASVI. Quando mencionei a Leila e o Grupo Mulheres de Pedra, Maria comentou “já colaboramos muito juntas”.
Nosso desafio como Rede de Fundações Comunitárias é o de fortalecer organizações como o Instituto Rio, para que possam impulsionar ainda mais o desenvolvimento comunitário trabalhando para a redução de desigualdades em seus territórios.

Share this Post!

About the Author : ICOM


0 Comment

Send a Comment

Your email address will not be published.